terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Luiz Carlos de Moraes


Arquivo de Som:

Dr. Willy em Mega Man



Biografia:

Luiz Carlos de Moraes é um dublador Carioca e Paulistano.
 
Início

Luiz Carlos de Moraes nasceu em 5 de Outubro.

Apesar de fazer parte de uma família teatral, a família Moraes, encabeçada por sua avó Conchita de Moraes, e abrilhantada pela tia Dulcina de Moraes, não se apaixonou pelo teatro logo de início.

Quando estava prestes a entrar no curso de medicina, já que queria ser médico como o pai, começou a sentir que se afeiçoava ao teatro. Na época, frequentava a peça Tia Mame (1962), estreada e montada por sua tia Dulcina, e ao vê montando a peça Chuva (1962), ambas em São Paulo no Teatro Bela Vista, pediu um pequeno papel na atração, e conseguiu.

Sua desistência de cursar medicina entristeceu sua avó Conchita, que ficou um tempo chateada com Luiz.

Apesar do apoio de sua tia Dulcina, nunca foi favoritado pela mesma para conseguir papeis em peças, ao contrário, batalhou muito para conseguir seguir sua própria carreira.

Teatro

Após isso, estréia em sua primeira peça de forma independente, Calígula (1962), ao lado de Sérgio Cardoso, Tarcísio Meira, Dina Lisboa, Eraldo Rizzo, Renato Correa de Castro, e outros, no Teatro Cacilda Becker, em São Paulo.

Araci Cardoso e Luiz Carlos de Moraes (1970)

Após seu início no teatro em São Paulo, parte para o Rio de Janeiro, aonde atua por algum tempo. A seguir daí, surgem as peças:

A Tia de Carlito (1963), de Fernando D'Ávila, com direção de Fábio Sabag, ao lado de Agildo Ribeiro, Aracy Cardoso, Arthur Costa Filho, Yolanda Cardoso e outros, no Teatro Jardel.

Deus Lhe Pague (1967), de Joracy Camargo, ao lado de Geórgia Quental, André Villon, Cahuê Filho, Nelson Vaz e Lúcia Alves, no Teatro Serrado.

Mulher Zero Quilômetro (1967), ao lado de André Villon, Daisy Lúcidi e Agnes Fontoura no Teatro de Bolso.

De Brecht a Stanislaw Ponte Preta - o Febeapa (1967), no Miniteatro Ata, no Rio de Janeiro, ao lado de Jaime Barcelos, Camila Amado, Milton Carneiro e Aldo de Maio.

E pela Companhia Eva Todor, esteve em Olho na Amélia (1969-70), ao lado de Milton Morais, Afonso Stuart, Sérgio de Oliveira, Suzi Arruda, Ivone Hoffmann, Lúcia Delor, Elza Bravo, Denair Machado, Hélio Ari e Eva Todor, no Teatro Maison de France, no Rio de Janeiro.

Retorna a São Paulo em 1970, e volta a atuar no teatro paulistano. Na ocasião, ingressa na peça Castro Alves Pede Passagem (1971-72), no Teatro Galpão, ao lado de Tereza Teller, Antônio Fagundes, Zanoni Ferriete, Dante Ruy, Othon Bastos, e outros.

Absurda Pessoa (1975), Esther Góes, Márcia Real, Miriam Mehler, Paulo Padilha, Tony Ramos, Renato Borghi, Ivete Bonfá e Hamilton Monteiro no Teatro Treze de Maio, em São Paulo.

Entre 1976 e 1985, atuam em várias peças no eixo Rio-São Paulo. Entre elas:

Feira do Adultério (1976), ao lado de Carlos Eduardo Dolabella, Cláudia Martins, Felipe Carone, Suely Franco e Cláudio Motta, no Teatro Serrador.

Computa, Computador, Computa (1977), de Millôr Fernandes, ao lado de Claudio Correa e Castro, e Selma Egrei, no Teatro Oficina, em São Paulo.

Camas Redondas, Casais Quadrados (1977), no Teatro da Praia, Rio de Janeiro, com direção de José Renato, ao lado de Vanda Lacerda, Felipe Carone, Lúcio Mauro, Alcione Mazzeo, Anilza Leoni, Fernando José e Fábio Junior.

Bodas de Papel (1978), de Maria Adelaide Amaral, direção de Cecil Thire, ao lado de Jonas Mello, Irene Ravache, Regina Braga, Jandira Martini, Luiz Parreiras, Ileana Kwasinsky e Lourival Pariz no Teatro Aliança Francesa, em São Paulo.

A Falecida (1979), de Nelson Rodrigues, ao lado de Elias Gleizer, Lizette Negreiros, Wellington Dias, e grande elenco, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.

O Santo Milagroso (1981), ao lado de Elias Gleizer, Lizette Negreiros, Cláudia Rezente e grande elenco, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.
 
Araci Cardoso e Luiz Carlos de Moraes (1970)

Moço em Estado de Sítio (1981-82), Luiz Mendonça, Carmem Gadelha, Expedito Barreira, Júlia Guedes, Octacilio Coutinho, Alfredo Ebasco, entre outros, no Teatro Sesc Tijuca, no Rio de Janeiro.

Chiquinha Gonzaga, Ó Abre Alas (1983), ao lado de Walter Cruz, Claudia Rezende, Elias Gleizer, e grande elenco, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.

Sua Excelência o Candidato (1985), no Teatro Vanucci, Rio de Janeiro, ao lado de Felipe Carone, Tony Ferreira, Paulo Figueiredo, Marcos Caruso e Jandira Martini.

A partir de 1985, se estabiliza teatralmente em São Paulo, atuando em diversas peças, retornando ao Rio apenas em 2011 para uma curta temporada em um espetáculo. Entre as peças, temos:

O Rei do Riso (1985), ao lado de Diná Lara, Ednei Giovenazzi, Elias Gleizer, Marcelo Coutinho, e outros, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.

Muito Barulho por Nada (1986), ao lado de Elias Gleizer, Anamaria Barreto, Carlos Felipe, e elenco do SESI, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.

Onde Canta o Sabiá (1988), de Gastão Tojeiro, ao lado de Ruthinéa de Moraes, Lúcio de Freitas, Clóvis Gonçalves, Anamaria Barreto, entre outros, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.

Confusão da Cidade (1989), ao lado de Ruthinéa de Moraes, Paulo Hesse, Henrique Lisboa, Haroldo Botta, Anamaria Barreto e outros, no Teatro Popular do Sesi, em São Paulo.

Ela é Bárbara (1990), com direção de Cécil Thiré, ao lado de Tônia Carrero, no Centro Cultural São Paulo.

Encontro no Supermercado - A última Sedução (1995-96), de Shula Meggido, com direção de Cláudio Torres, ao lado de Tereza Rachel, Sebastião Vasconcelos, e outros, no Teatro Tereza Rachel.

A Soma de Nós (2007), no Teatro Cacilda Becker, em São Paulo, ao lado de Maria Eugênia de Domênico, Maurício Machado, e Pedro Bosnich.

Quanto Tempo da Vida Eu Levo Pra Ser Feliz (2011), ao lado de Camila Amado, Denise Weinberg, Fernando Dolabella e Isabel Guéron no Sesc Niterói.

Luiz Carlos de Moraes e Bibi Ferreira (2018)

Em varias peças que trabalhou já foi dirigido por grandes nomes do teatro como Sérgio Cardoso, Bibi Ferreira e José Renato.

Até o ano de 2011, Luiz encenou um total de 30 peças teatrais.

TV Rio

Na TV, uma de suas primeiras aparições foi na TV Rio, no programa Grande Teatro, em peças como Educação Sentimental (1963), ao lado de Paulo Padilha, Zilka Salaberry, Sérgio Brito, Magalhães Graça, Iolanda Cardoso, e Ítalo Rossi.

TV Tupi (RJ)

No ano seguinte, ingressa na TV Tupi do Rio, e atua no programa Clube dos Morcegos, nas peças Ritual Satânico (1964), Face do Mal (1965), e A Beleza da Morte (1965).

No programa Teatro de Comédia, esteve em Sorte Grande (1965), O Síndico (1965), e Mulher em Três Atos (1965).

Rede Globo

Em seguida, vai para a TV Globo, aonde atua na novela O Rei dos Ciganos (1966).

TV Tupi (SP)

Após um tempo atuando no teatro, e recém-saído da Companhia de Eva Todor, retorna à São Paulo e a televisão em 1970, ingressando na TV Tupi.


Maria Estela e Luiz Carlos de Moraes (2008)
 
Na emissora, atuou nas novelas Meu Pé de Laranja Lima (1971), Nossa Filha Gabriela em (1971), Bel-Ami (1972), Rosa-dos-Ventos (1973), A Barba Azul (1974), Um Dia, O Amor (1975), Papai Coração (1976), e O Profeta (1977).

TV Cultura

Teve uma passagem pela TV Cultura, aonde atuou no programa Teatro 2, em peças como The Star (1979), dirigida por Antônio Abujamra.

TV Bandeirantes

Em 1980 foi para a TV Bandeirantes, aonde fez a novela Um Homem Muito Especial (1980), seguida de Renúncia (1982), e Ninho da Serpente (1982).
 
SBT

Em 1983 foi para o SBT, aonde fez a novela Vida Roubada (1983).
 
TV Bandeirantes

Após um hiato da TV, retorna a TV Bandeirantes em 1988, aonde atua na novela Serras Azuis (1988), e na minissérie, Chapadão do Bugre (1988).
 
SBT

Em seguida, volta ao SBT, e atua na novela Cortina de Vidro (1989).

Rede Globo

Tem uma breve participação na série Você Decide na Rede Globo em 1992, no episódio Na Marca do Pênalti (1992).

CNT - Gazeta

Em 1996, vai para a CNT - Gazeta, e atua na novela Irmã Catarina (1996).

Rede Record

A novela Direito de Vencer (1997) vem no ano seguinte na Rede Record, seguida da minissérie A Filha do Demônio (1997).

SBT

Anos mais tarde de volta ao SBT, atua em algumas novelas na emissora, como Fascinação (1998), Pérola Negra (1998), Pícara Sonhadora (2001), Pequena Travessa (2002), e Seus Olhos (2004).
 
Rede Record

No mesmo ano vai para a Rede Record, aonde atua na novela A Escrava Isaura (2004), seguida de Essas Mulheres (2005), Luz do Sol (2007), Amor e Intrigas (2008), e Poder Paralelo (2009).

Também esteve na série A Lei e o Crime (2009) na emissora.

SBT

Em 2011 retorna novamente ao SBT, aonde atua na novela Amor e Revolução (2011).

HBO

Esteve em 2017 no canal a cabo HBO, na série A Vida Secreta dos Casais (2017).

Cinema

No cinema, esteve nos filmes O Gênio do Sexo (1978), Adultério Por Amor (1979), Retrato Falado de Uma Mulher Sem Pudor (1982), O Príncipe (2002), e E a Vida Continua... (2012).

Nomes Iguais

Por volta de 1965, havia um judoca famoso chamado Luís Carlos Morais. Nos anos de 1950, havia um jornalista no Rio de Janeiro chamado Luís Carlos de Morais.

Nos anos de 1960 e 1970, havia um contra-regras da Rádio Jornal do Brasil e posteriormente da Rádio Globo do Rio de Janeiro chamado Luís Carlos Morais. Na década de 1970, havia um corredor de fórmula 1 chamado Luiz Carlos Moraes.

Em 1978, havia um ator teatral, compositor e diretor de teatro recém-formado na FEFIERJ chamado Luiz Carlos Moraes. Fora o engenheiro Luiz Carlos de Moraes Vital, que foi muito conhecido nos anos de 1960 e 1970.

Vida Pessoal

Luiz Carlos era sobrinho de Dulcina de Moraes, primo de Sônia de Moraes, e neto de Conchita de Moraes, todos atores de teatro. Sua família tem uma tradição teatral desde o final do século 18. Desde mais ou menos o ano de 1761.

Luiz Carlos de Moraes (2011)

Luiz também é filho de Ruth de Moraes, e sobrinho de Odete de Moraes, que fizeram teatro por algum tempo também. Ruth largou o teatro para cuidar dos filhos. Edith de Moraes também era sua tia. Essa, diferente de boa parte da família, atuou muito tempo em São Paulo, e mais especificamente no Rádio.

E por fim, sua filha, Talita de Moraes trabalhou como produtora teatral, e posteriormente como atriz.

Dublagem

Na dublagem, entrou no início dos anos de 1960 na TV Cinesom, no Rio de Janeiro, também passando pela Dublasom Guanabara e CineCastro. Em São Paulo, vai para a AIC no início dos anos de 1970, e para a CineCastro paulista.
 
Até por volta de 1976 esteve na dublagem, quando se ausentou até meados dos anos de 1980, por conta do teatro no eixo Rio-São Paulo, retornando a profissão pela BKS.
 
Além do estúdio, esteve também na Álamo, Gota Mágica, Megassom, Marshmallow, Dublavídeo, Sigma, DPN, Centauro, Mastersound, Studio Gábia, Unidub, TV Group Digital, Vox Mundi, Dubbing & Mix, CBS, e outras.

Dennis Hopper

Uma de suas maiores consagrações na dublagens são os atores que dublou para cinema. Entre eles temos Anthony Hopkins em A Máscara do Zorro, e Em Busca do Amor, Danny DeVito em A Chave do Sucesso, e Em Busca do Prazer, Dennis Hopper em Conspiração Policial, e Waterworld - O Segredo das Águas, Bob Hoskins em Cão de Briga, e Super Mario Bros, Alan Arkin em Marley & Eu, e Um Sinal de Esperança, Robert Duvall em A Um Passo da Glória, e Um Ato de Coragem, John Hurt em Rob Roy - A Saga de Uma Paixão, e Wild Bill - Uma Lenda do Oeste, Pat Morita nas redublagens para Blu-Ray de Karatê Kid 1 e 2, John Cleese em O Dia Em Que a Terra Parou (2008), e Ta Todo Mundo Louco, Dustin Hoffman em e Hook - A Volta do Capitão Gancho (VHS), e Perfume: A História de Um Assassino, Sean Connery em Corações Apaixonados, e O Nome da Rosa, e Os Vingadores (2ª Dublagem), Pat Hingle em Batman Eternamente (2ª Dublagem) e Ricky Bobby - A Toda Velocidade, Jon Voight em Anaconda, e Força Policial, Ben Kinsgsley em A Última Legião, e O Som do Trovão, Malcolm McDowell em Desejo de Liberdade, e O Livro de Eli, Gene Hackman em Atrás das Linhas Inimigas, e O Júri, e Iam Holm em O Doce Amanhã, e O Senhor das Armas.
 
Além desses atores, também foi Cary Grant em Este Mundo é Um Hospício, Jack Nicholson em Nos Bastidores da Notícia, Ian Mckellen em Deuses e Monstros, Michael Gambon em A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, Patrick Stewart em X-Men Origens: Wolverine, Jim Carter em Dinotopia, Liam Neeson em Maridos e Esposas, Mel Brooks em Drácula - Morto, Mas Feliz, Al Pacino em O Mercador de Veneza, Michael Caine em Um Jogo de Vida Ou Morte, Charlton Heston em Alaska - Um Aventura Inacreditável, Richard Harris em Júlio Cesar (2002), Laurence Olivier em Drácula (1979), Kevin Spacey em Edison - Poder e Corrupção (2ª Dublagem, Donald Sutherland em Condenação Brutal, Rod Steiger em Jesus de Nazaré, e Robert Vaughn em Joe e As Baratas.

Dr. Willy em Megaman

Em desenhos também imortalizou muitos personagens, como Mime de Benetnasch nas duas dublagens de Cavaleiros do Zodíaco, Dabura em Dragon Ball Z, Doutor Maki Gero em Dragon Ball GT, General Red na segunda e terceira dublagem de Dragon Ball (as mais conhecidas) e em Dragon Ball Especial 10 Anos, a terceira e mais conhecida voz do Seu Siriquejo em Bob Esponja e em Bob Esponja - O Filme, Doutor Willy em Mega Man e Megaman Nt Warrior, Senhor das Trevas em Ragnarok - The Animation, Bez em Os Cavaleiros da Arábia, Shang Tsung em Mortal Kombat - Os Defensores do Reino, Clyde e Peter Perfeito em Corrida Maluca, Clyde na primeira dublagem de Os Apuros de Penélope Charmosa, Klunk na primeira dublagem de Máquinas Voadoras, Peter Griffin em Uma Família da Pesada, Sagat em Street Fighter II V e Street Fighter II, o cachorro Goober em Goober e os Caçadores de Fantasma, entre outros.

Angelines Fernandes, Hector Bonilla, Roberto Gomes Bolaños, e Florinda Meza (1979)

Em séries foi o Senhor Furtado interpretado por Ricardo de Pascual, Hector Bonilla interpretando a si proprio e Seu Madroga interpretado por Germán Robles em Chaves, Conde Terranova interpretado por José Antonio Mena em Chapolin, Joe Tiger interpretado por Shingo Fukushima em Lion Man, Mike Fulton interpretado por T.k. Carter na primeira dublagem de Punky, a Levada da Breca, Peter Brennan interpretado por John Larroquette em Confusões Em Família, Tom interpretado por M.c. Gainey na segunda temporada de Lost, Capitão Daulton interpretado por Gus Mercúrio em As Novas Aventuras de Flipper, Reginald Forman "Red" interpretado por Kurtwood Smith em De Volta Aos Anos 70, entre outros.

Em novelas fez Alirio Perafán interpretado por Jairo Camargo em Pedro, O Escamoso, entre outros.

Trabalhos:

Filmes

- Anthony Hopkins em A Máscara do Zorro, A Prova, Bobby (2ª Dublagem), Busca Sem Limites (Collide), Chaplin (2ª Dublagem), Drácula de Bram Stocker (Redublagem), Dragão Vermelho (2ª Dublagem), Desafiando Os Limites, Em Busca do Amor, Instinto, Lendas da Paixão, Missão: Impossível 2 (2ª Dublagem), O Despertar de Uma Realidade, O Homem Elefante (Redublagem), Os Amores de Picasso, Presságios de Um Crime, e Um Sonho Dentro de Um Sonho
- Danny DeVito em A Chave do Sucesso, A Guerra dos Roses, Austin Powers e o Homem do Membro de Ouro (Cinemax), Em Busca do Prazer, Igual a Tudo na Vida, Los Angeles - Cidade Proibida (2ª Dublagem), e O Que Mais Pode Acontecer?
- Dennis Hopper em Conspiração Policial, Filhos da Máfia, Os Irmãos Id & Ota (3ª Dublagem), Sedução Diabólica, Sob Fogo Cruzado, e Waterworld - O Segredo das Águas
- Bob Hoskins em A Passagem, Cão de Briga, Círculo de Fogo (DVD), O Filho do Máskara, Super Mario Bros - O Filme e Um Cilada Para Roger Rabbit (2ª Dublagem)
-Alan Arkin em O Anjo da Guarda (DVD), Anjo de Vidro (Redublagem), O Cadillac Azul, Marley & Eu, Pequena Miss Sunshine, e Um Sinal de Esperança
- Robert Duvall em A Um Passo da Glória, Coração Louco, Lições Para Toda a Vida, Obrigado Por Fumar, Segredos de Um Funeral,  Um Ato de Coragem
-John Hurt em Contato (VHS), Rob Roy - A Saga de Uma Paixão, Tiros em Ruanda, Wild Bill - Uma Lenda do Oeste
- Pat Morita em Karatê Kid - A Hora da Verdade (Blu-ray), e Karatê Kid 2 - A Hora da Verdade Continua (Blu-ray).
- John Cleese em O Dia Em Que a Terra Parou (2008), Quem Vai Pagar o Pato?, e Ta Todo Mundo Louco
- Dustin Hoffman em e Hook - A Volta do Capitão Gancho (VHS), Perfume: A História de Um Assassino
- Malcolm McDowell em Bobby Jones - A Lenda do Golfe, Desejo de Liberdade, e O Livro de Eli
- Sean Connery em Corações Apaixonados, O Nome da Rosa, e Os Vingadores (2ª Dublagem)
- Pat Hingle em Batman Eternamente (2ª Dublagem), e Ricky Bobby - A Toda Velocidade
- Jon Voight em A Arca de Noé (1ª Dublagem), Anaconda, Força Policial, e Reviravolta
- Ben Kinsgsley em A Última Legião, O Som do Trovão, e Xeque Mate
- Gene Hackman em Atrás das Linhas Inimigas, e O Júri
- Iam Holm em O Doce Amanhã, e O Senhor das Armas
- Shang Tsung (Cary-Hiroyuki Tagawa) em Mortal Kombat - O Filme
- Mortimer Brewster (Cary Grant) em Este Mundo é Um Hospício
- Bill Rorish (Jack Nicholson) em Nos Bastidores da Notícia
- James Whale (Ian Mckellen) em Deuses e Monstros
- Baltua Van Tassel (Michael Gambon) em A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça
- Sagat (Wes Studi) Street Fighter - A Batalha Final
- Professor Charles Xavier (Patrick Stewart) em X-Men Origens: Wolverine
- Prefeito Waldo (Jim Carter) em Dinotopia
- Professor Harlech (F. Murray Abraham) em Viagem ao Centro da Terra (1993)
- Gus Sands (Darren McGavin) em Um Homem Fora de Série
- Ward Douglas (Ned Beatty) em 1941 - Uma Guerra Muito Louca
- Probert (Derek Jacobi) em Assassinato Em Gosford Park
- O Profesor Bacterio (Janfri Topera) em Mortadelo e Salaminho
- Michael Gates (Liam Neeson) em Maridos e Esposas
- Dr. Abraham Van Helsing (Mel Brooks) em Drácula - Morto, Mas Feliz
- Johann Tetzel (Alfred Molina) em Lutero
- Shylock (Al Pacino) em O Mercador de Veneza
- Andrew (Michael Caine) em Um Jogo de Vida Ou Morte
- Collin Perry (Charlton Heston) em Alaska - Um Aventura Inacreditável
- Lucius Cornelius Sulla (Richard Harris) em Júlio Cesar (2002)
- John McIvers (Ward Bond) em Johnny Guitar
- Poncio Pilatos (Richard Boone) em O Manto Sagrado
- O Rei (Joss Ackland) em O Pequeno Príncipe
- Professor Abraham Van Helsing (Laurence Olivier) em Drácula (1979)
- Levon Wallace (Kevin Spacey) em Edison - Poder e Corrupção (2ª Dublagem)
- Sr. Grand (Raymond J. Barry) em Escolhas Erradas
- Al Garcia (Armand Assante) em Striptease
- Torres (Marco Rodríguez) em O Corvo
- Nigel (Peter Cook) em Supergirl - O Filme
- J.t. McCain "Buster" (Richard Farnsworth) em Louca Obsessão
- Linc Hayes (Clarence Williams III) em Mod Squad
- Sethi (Cedric Hardwicke) em Os 10 Mandamentos (2ª Dublagem)
- Lou Mannheim (Hal Holbrook) em Wall Street - Poder e Cobiça
- Ray Nichols (Len Cariou) em As Confissões de Schmidt
- Warden Drumgoole (Donald Sutherland) em Condenação Brutal
- Capitão Colin Maud (Kenneth More) e General James M. Gavin (Robert Ryan) em O Mais Longo dos Dias
- Pôncio Pilatos (Rod Steiger) em Jesus de Nazaré
- Richard Banger (Dennis Farina) em Jogo de Amor Em Las Vegas
- Cherife Williams (Gary Chalk) em Freddy Vs. Jason
- Senador Dougherty (Robert Vaughn) em Joe e As Baratas
- David (Harvey Miller) em Quero Ser Grande
- Prefeito Lewis (John Randolph) em Terremoto

Séries

- Sr. Furtado (Ricardo de Pascual), Hector Bonilla (Hector Bonilla) e Seu Madroga (Germán Robles) em Chaves
- Conde Terranova (José Antonio Mena) em Chapolin
- Joe Tiger (Shingo Fukushima) em Lion Man
- Mike Fulton (T.K. Carter) em Punky, a Levada da Breca (1ª Dublagem)
- Tom (M.C. Gainey) em Lost (Álamo)
- Peter Brennan (John Larroquette) em Confusões Em Família
- Cap. Daulton (Gus Mercúrio) em As Novas Aventuras de Flipper (1995)
- Reginald Forman "Red" (Kurtwood Smith) em De Volta Aos Anos 70

Desenhos

- Mime de Benetnasch em Os Cavaleiros do Zodíaco (1ª e 2ª Dublagem)
- Seu Siriquejo (terceira voz) em Bob Esponja, Bob Esponja - O Filme, e Bob Esponja: Um Herói Fora D'Água
- Dabura em Dragon Ball Z
- Doutor Maki Gero em Dragon Ball GT
- General Red em Dragon Ball (2ª e 3ª Dublagens), e Dragon Ball Especial 10 Anos
- Paragus em Dragon Ball Super: Broly - O Filme
- Daolon Wong em As Aventuras de Jackie Chan
- Dr. Willy em Mega Man, e Megaman NT Warrior
- Mandrake em Defensores da Terra
- Dinobot em Beast Wars
- Clyde e Peter Perfeito em Corrida Maluca
- Clyde em Os Apuros de Penélope Charmosa (1ª Dublagem)
- Klunk em Máquinas Voadoras (1ª Dublagem)
- Peter Griffin em Uma Família da Pesada
- Sagat em Street Fighter II V, e Street Fighter II
- Shang Tsung em Mortal Kombat - Os Defensores do Reino
- Bez em Os Cavaleiros da Arábia
- Goober em Goober e os Caçadores de Fantasma
- Inspetor Bugiganga em Inspetor Bugiganga
- Pão Duro MacMoney (primeira voz) em Duck Tales (VHS)
- O Sr. Fantástico /O Homem-Borracha (segunda voz) em Os Quatro Fantásticos
- Dr. J em Gundam Wing
- Kabapu em Excel Saga
- Senhor das Trevas em Ragnarok - The Animation
- Shukaku em Naruto

Novelas

- Alirio Perafán (Jairo Camargo) em Pedro, O Escamoso
- Martim Moura Bastos (Luís Zagalo) em Morangos Com Açúcar

Jogos

- Shinnok em Mortal Kombat XI
- Vendedor Time Roxo na Ponte da Carnificina em League of Legends

Fontes: Dramaturgia Brasileira - In Memoriam, Dublanet, Acervo Pessoal, Jornal do Brasil, Diário de Notícias (RJ), O Fluminense (RJ), Jornal do Brasil (RJ), Todo Teatro Brasileiro, Correio Braziliense (DF), Revista Manchete, Jornal do Brasil, Enciclopédia Itaú Cultural, IMDB, Wikipédia Wiki.

Mário Jorge Montini


Arquivo de Som:

Arthur Bicudo (George Gaynes) em Punky - A Levada da Breca (1ª Dublagem) 



Biografia:

Mário Jorge Montini foi um dublador Paulistano.

Mário Jorge Montini nasceu no dia 29 de Junho de 1927 em São Caetano do Sul, São Paulo.

Rádio São Paulo

 
Mário Jorge Montini, Rosely Tadeu, e Domingos Paulo (1956)

Mário Jorge começou a carreira em 1948 na Rádio São Paulo, ainda bem jovem, por influencia de sua mãe que via os dotes artísticos do filho, que desde pequeno fazia parte do grupo de teatro da Igreja da Sagrada Família.
 
Mário começou na emissora como rádioator coadjuvante e contra-regras. Mário passou por vários testes até ser escolhido para compor o cast de rádioatores da Radio São Paulo. A partir daí seguiu longa carreira.

Mário Jorge Montini e Maria Teresa (1955)

Entre seus trabalhos, temos primeiramente o programa Grande Teatro Royal, aonde interpretou as peças Sinhá Moça Chorou (1950), Uma Aventura Singular (1950), Iracema (1950), Sacrifício de Filha (1950), Natal (1950), A Canção de Minha Ternura (1951), entre outras, além do programa Teatro das 13 Horas, em peças como Consagração - Vida de Angela Maria (1959), e em peças religiosas, como O Mártir do Calvário (1959).

Em novelas, participou de A Força do Destino (1958), A Ilha dos Ventos (1958), Um Estranho na Terra de Ninguém (1958), Uma Escada Para o Céu (1959), Pelos Mesmos Caminhos (1959), Pelos Mesmos Caminhos (1959), Um Coração Sem Dono (1959), Algemas Partidas (1959), Deus Prestarei Minhas Contas (1959), Sinceridade (1959), A Presença de Eva (1959), e Lili (1959).

Mary Seródio, Eduardo Cúri, Diva Lobo, e Mário Jorge Montini (1961)

Na década seguinte, esteve nas novelas Imitação da Vida (1960), O Homem do Espelho (1960), O Homem Que Perdeu a Alma (1960), O Coração Negro da Noite (1960), A Sultana do Grande Lago (1960), Há Justiça no Céu (1960), Em Cada Coração Um Pedaço (1960), O Homem do Espelho (1960), O Tesouro Dos Homens Sem Deus (1960), Terra do Sol (1961), A Mulher Que Veio de Longe (1961), A Senhora de Santa Fé (1961), A Volta de Eleonora (1962), O Dono da Saudade (1962), Noite Iluminada (1962), Um Homem na Solidão (1963), Só Resta Uma Esperança (1963), entre outras.

Além do seu trabalho como ator, também atuou como diretor. Teve sua primeira chance em 1960, quando o assistente de direção, Roberto de Carvalho fica ausente, então atua em seu lugar. A partir daí começa a dirigir pequenas produções na emissora, até se tornar diretor fixo de rádionovelas em 1962.

Ivani Ribeiro e Mário Jorge Montini (1960)

Entre suas direções, estão as novelas Em Cada Coração Um Pedaço (1960), O Homem do Espelho (1960), O Cavaleiro da Lagoa Azul (1960), O Preço de Uma Vida (1960), entre outras.

Mário também trabalhou na Rádio Cacique em São Caetano do Sul.

Prêmios

Osvaldo de Barros e Mário Jorge Montini (1960)

Em 1956, ganhou o Roquette Pinto de melhor contra-regras de 1955. Em 1957, ganha novamente os mesmo prêmio de contra-regras referente ao ano antecedente.
No programa Correio Sem Selo (1959), de Roberto de Carvalho na Rádio São Paulo, foi considerado ao lado de outros colegas um dos melhores quadros da Rádio São Paulo.

Teatro

Em teatro, participou da peça A Paixão de Cristo.

TV Record

Na TV, começou em 1954 na Rede Record, no ano de inauguração da empresa, nos então inéditos e futuramente famosos Teleteatros, sendo seu primeiro teleteatro, A Muralha (1954).

Nomes Iguais

Existia na década de 1950 no Rio de Janeiro um diretor de programas e elencos de rádioteatro na Rádio Ministério da Educação, chamado Mário Jorge.

Na dublagem, a partir de 1977, ingressou na dublagem carioca um dublador chamado Mário Jorge de Andrade, muitas vezes confundido com Mário Jorge Montini, por ser citado apenas pelo seu primeiro e segundo nomes.

Dublagem

Em 1957, entrou para a dublagem, tendo sido um dos primeiros a serem chamados para a profissão, ainda na GravaSon. O mesmo dizia ter sido o primeiro dublador chamado em 1957, no mesmo de Junho, mês de seu aniversário, por tanto o dia 29 de Junho, dia de seu aniversário acabou se tornando o dia do dublador no Brasil.

Em seu começo de carreira na dublagem, alem das produções internacionais, também dublava muito as séries feitas na TV Tupi e TV Record. Aos poucos essa pratica foi acabando, e Mário permaneceu dublando apenas produções internacionais.

Mário Jorge Montini (2007)

Além da GravaSon/AIC/BKS, Mário também esteve em estúdios como Maga, Elenco, Gota Mágica, Álamo, Dublavídeo, entre outras. Mário também foi diretor de dublagem, atuando, entre outros na Dublavídeo.

Em filmes, foi a voz de Robert Englund na primeira dublagem de A Hora do Pesadelo 1 e 2, Jack Warden na trilogia O Pestinha, além dos atores Charles Laughton na primeira dublagem de Spartacus, Bill Cobbs em Destinos Cruzados, Peter O'Toole em Vênus, Charles Durning em A Primeira Página, Martin Landau em As Aventuras do Pinóquio, Michael Gough em A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, John Cleese em Monty Phyton Em Busca do Cálice Sagrado, entre outros.


João Grandão

Em desenho, foi a voz de João Grandão em João Grandão, Chefe em O Inspetor Bugiganga, Dara em Samurai Warriors, Gus em Kissyfur, Cyborg 006 na série clássica Cyborg 009, Tartaruga do Mestre Kame na primeira e segunda dublagens de Dragon Ball e em Dragon Ball Z, Brutus na dublagem dos anos de 1980 de Popeye, Fluffi em Os Seis Biônicos, entre outros.

George Gaynes

Em séries, foi a voz de Roger Stanton interpretado por Harris Yulin em 24 Horas, Sargento Demetrio Lopez Garcia interpretado por Henry Calvin na primeira dublagem de Zorro, Fuher interpretado por Gorou Mutsumi em Cybercops, Os Policias do Futuro, Chefe interpretado por Edward Platt na primeira dublagem de Agente 86, Arthur Bicudo interpretado por George Gaynes na primeira dublagem de Punky - A Levada da Breca, a primeira voz de Shima interpretado por Michirou Iida em Esquadrão Relâmpago Changeman, entre outros.

Em 2007, Mário comemorou o seu aniversário de 80 anos junto com os amigos em sua casa, e junto com isso comemorou também o dia do dublador, e o meio século de dublagem brasileira. O evento contou com diversos dubladores do passado e do presente, além de cobertura de diversos órgãos de mídia.

Mário se afastou da dublagem no início dos anos 2000, dublando esporadicamente. Na ocasião, dedicou-se apenas a direção de dublagem na Dublavídeo. No final dos anos de 2000, se aposenta da profissão.

Mário veio a falecer em 4 de Maio de 2017, em São Caetano de Sul, São Paulo, aonde residia.

Trabalhos:

Filmes

- Robert Englund em A Hora do Pesadelo (1ª Dublagem), e A Hora do Pesadelo 2 (1ª Dublagem)
- Jack Warden em O Pestinha 1, O Pestinha 2 (1ª Dublagem) e O Pestinha 3 (2ª Dublagem)
- Senador Gallio (Torin Thatcher) em O Manto Sagrado
- Larry Talbot / Lobsomem (Lon Chaney Jr.) em Abbott e Costello As Voltas Com Fantasmas
- Miguel (Tony Genaro) em O Ataque dos Vermes Malditos
- Sargento Major Elmer Pulley (Gene Evan) em O Bamba do Regimento
- Pop Leibel (Konstatin Shayne) em Um Corpo Que Cai
- Major Ebersole (Austin Pendleton) em O Sargento Trapalhão (1ª Dublagem)
- Andrew Ferrara (Paul Mochnick) em Morte Súbita (1ª Dublagem)
- José de Arimatéia (James Mason) em Jesus de Nazaré
- Sam (George Dunn) em O Estranho Que Nós Amamos
- Frei Tuck (Jeff Nuttall) em Robin Hood - O Herói dos Ladrões
- Cardeal Wolsey (Anthony Quayle) em Anna dos Mil Dias
- Willy (Vasek Simek) em Havana
- Pete (Louis Zorich) em Os Muppets Conquistam Nova York
- Xerife Sam Eberly (Hoyt Axton) em Sepultado Vivo
- Phil (Michael Lerner) em Na Riqueza e Na Pobreza
- Maestro Matiste (Fortunio Bonanova) em Cidazão Kane
- Major Sholto (Terrence Labrosse) em O Signo dos Quatro
- Sempronius Gracchus (Charles Laughton) em Spartacus (1ª Dublagem)
- Senhor do Salão 1 (Dub Taylor) em De Volta Para o Futuro 3 (1ª Dublagem)
- Jorge de Burgos (Feodor Chaliapin Jr.) em O Nome da Rosa
- Roger Stanton (Harris Yulin) em 24 Horas
- Prefeito Grundy (Scott Beach) em Conta Comigo
- Jack Pierce (David Huddleston) em O Poder do Amor
- Padre O'Neil (Henry Gibson) em Penetras Bons de Bico
- Avô (James Whitmore) em O Anel da Luz Eterna
- Marvin (Bill Cobbs) em Destinos Cruzados
- Jim Stern (Paul Langton) em O Esporte Favorito dos Homens
- Maurice Russell (Peter O'Toole) em Vênus
- Murphy (Charles Durning) em A Primeira Página
- Gepeto (Martin Landau) em As Aventuras do Pinóquio
- Tabelião Hardenbrook (Michael Gough) em A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça
- Vários Personagens (John Cleese) em Monty Phyton Em Busca do Cálice Sagrado

Séries

- Chefe (Edward Platt) em Agente 86 (1ª Dublagem)
- Arthur Bicudo (George Gaynes) em Punky - A Levada da Breca (1ª Dublagem)
- Shima (Michirou Iida) (primeira voz) em Esquadrão Relâmpago Changeman
- Fuher (Gorou Mutsumi) em Cybercops, Os Policias do Futuro
- Sargento Demetrio Lopez Garcia (Henry Calvin) em Zorro (1ª Dublagem)

Desenhos

- João Grandão em João Grandão
- Fluffi em Os Seis Biônicos
- Chefe em O Inspetor Bugiganga
- Tartaruga do Mestre Kame em Dragon Ball (Gota Mágica e Álamo), e Dragon Ball Z (Álamo)
- Muri em Dragon Ball Z - O Retorno de Coola
- Brutus em Popeye (Anos de 1980 - BKS)
- Ajudante do Lúcifer em Dragon Ball - A Bela Adormecida no Castelo Mal Assombrado
- Vizir em Os Ursinhos Carinhosos e o Quebra Nozes (Longa-Metragem)
- Cyborg 006 em Cyborg 009 (Clássica)
- Dara em Samurai Warriors
- Gus em Kissyfur
- Frank (Roy Roberts) em A Feiticeira (5ª Temporada)

Fontes: Acervo Pessoal, Dublanet, Wikipédia, TV Cultura, TV Bandeirantes, João David, Radiolândia.

Borges de Barros


Arquivo de Som:

Moe Howard (Moe Howard) em Os Três Patetas



Biografia: 

Borges de Barros foi um dublador Paulistano.

Início

Fileto Borges de Barros nasceu em 27 de Março de 1920 em Corumbá, Mato Grosso do Sul. Se mudou bem cedo para a capital Campo Grande com a família. Aos 10 anos, foi coroinha na Igreja São José, aonde também era ajudante do padre João Gripa, aonde muitas vezes também foi sacristão. Borges chegou a ser seminarista, caminhando para se tornar padre. Desempenhou essas funções até os 14 anos.

Depois disso, foi com a família para São Paulo, aonde arranjou o emprego de entregador na Rua José Paulino, no bairro da Luz, centro de São Paulo.

Anos mais tarde, entrou para a Faculdade de Ciências e Letras, aonde se formou ao lado de nomes famosos, como Vida Alves e Fernando Baleronne.
 
Rádio Cultura
 
Em uma certa ocasião, o historiador e professor internacional de geografia e história da faculdade, Abituar Bastos, fez uma peça de teatro, aonde Borges participou e interpretou diversos personagens, e Abituar por ver seu talento, sugeriu que ele tentasse o rádio, que era o ramo artístico mais famoso da época.
 
Borges de Barros (1957)
Os amigos Gaeta e Galon, o ajudaram e o levaram para um teste de rádioator em uma empresa chamada Stand-Up Publicidade Propaganda, no qual Gaeta era amigo do diretor artístico, Luiz Escatena. Borges passa no teste, e é escalado na série Aventuras de Tarzan e o Vingador, em 1945 na Rádio Cultura.
 
Waldir Wey e David Brandão, deram vários personagens para Borges interpretar na série, mas ele se destacou fazendo a voz da macaca Cheeta na série. Foi a partir daí que começou sua carreira artística.
 
Rádio América
 
Posteriormente, vai para a Rádio América, aonde trabalha com os diretores de rádioteatro da emissora, Paulo Leblon e Dias Gomes, em diversas produções na rádio.
 
Rádio Cruzeiro do Sul
 
Nos anos de 1940, também atuou na Rádio Cruzeiro do Sul, na qual ficou algum tempo. Ainda nos anos de 1940, atua em outra emissoras, como Eldorado e Tupi.
 
Rádio Piratininga
 
Na mesma época, Borges atuava na Rádio Piratininga, com o pseudônimo de Jesus Lívio, talvez por não ser permitido ter contrato com duas emissoras simultaneamente.
 
Rádio Bandeirantes
 
Borges de Barros (1957)

Em seguida, esteve na Rádio Bandeirantes, aonde, entre outros, atuou no programa Cinema Em Seu Lar, em peças como Os Dedos da Morte (1947), ao lado de Daisy Fonseca.
 
Rádio Cultura
 
Pouco tempo depois, retorna para a Rádio Cultura, aonde fica pouco tempo.
 
Rádio Record
 
Ainda no final da década de 1940, trabalha na Rádio Record como contra-regras.
 
Rádio Excelsior
 
Em 1950, vai para a Rádio Excelsior, ficando 2 anos na emissora.
 
Rádio Nacional (SP)
 
Foi a partir de 1952 que começou a alcançar sua fama, sendo contratado pela Rádio Nacional de São Paulo. Foi na emissora que seu lado cômico foi mais estimulado, seguido também de seu lado dramático.
 
Borges de Barros, Manuel de Nóbrega e Carlos Alberto de Nóbrega (1958)

Entre os programas humorísticos que fez na emissora, está Balança, Mas Não Cai (1953-54), do carioca Paulo Gracindo, aonde interpretava o primo pobre, ao lado de Manoel de Nobrega que interpretava o primo rico, A Cidade Se Diverte (1956-59), Vai da Valsa (1956-58), ao lado de Farid Riskallah, Isaura Marques, Rachel Martins e Homem de Melo, Este Norte é de Morte (1956), ao lado de Chico Anysio, Gordurinha e Cacilda Lanuza, Climax Para Milhões (1957), ao lado de Manoel de Nóbrega e Golias, PRK-30 (1958), Aventuras do Galocha (1958), de Manoel de Nóbrega, e ao lado do próprio, Quem Inventou o Trabalho? (1959), ao lado de Moacyr Franco, Folias do Golias (1959-61), ao lado de Ronald Golias, Manoel de Nobrega, Canarinho e outros, Sete Dias, Sete Fatos (1959), Programa Manoel de Nóbrega (1959-60), Família Pacheco (1961), ao lado de Líria Marçal e Luís Pini, Bar do Ponto (1961),
 
Em 1953, houve um acontecimento fatídico com Borges de Barros. Ele estava em uma perua com artistas da emissora na Rodovia Dutra, na altura da cidade de Jacareí, quando a mesma em alta velocidade teve seu pneu estourado e foi de encontro a outra caminhonete. No acidente faleceu o radialista Nestor Teixeira. Entre os passageiros estavam Nulo Roland, Wilson Vieira, Masenet, e Paulo Leblon. Detalhe, a outra caminhonete era da Rádio Bandeirantes que vinha de São José dos Campos, aonde os artistas nela contidos tinham participado de um programa de rádio.
 
Borges de Barros e Iara Salles (1956)

Na emissora, também atuou em diversas rádionovelas. Entre elas, No Fim, a Saudade Também Escreve (1955), Enquanto o Sono Não Vem... (1956), O Cavaleiro Negro (1957), A Vida Começa Amanhã (1957), Senzala (1957), As Feras Também Querem Amor (1959), Apesar de Seu Conteúdo (1960), Dr. Misógenes (1960), Campo de Sangue (1960), Amor Selvagem (1960-61), entre muitas outras.
 
Em programas de temas diversos na emissora, esteve em Todos Cantam Sua Terra (1956), programa musical produzido por Dias Gomes, A Vida Começa Amanhã (1957), de Mário Donato, Rádio Almanaque Kolynos (1957), com várias peças teatrais, entre elas Quem Uma Árvore Plantou, Um Livro Escreveu e Um Filho Criou, Um Tesouro Acumulou (1957), A História de Um Tigre (1957), A Velhice Transviada (1957), Gente Nossa (1958), programa sertanejo ao lado de Nhô Zé, Entre Nuvens e Estrelas (1961), aonde foi júri no programa apresentado por Marcos Rey, entre outros.
 
Borges de Barros, Homem de Melo, e Farid Riskallah (1956)
 
Em peças teatrais, entre outros, esteve nos programas Teatro Valter Forster, em peças como A Garra do Macaco, e Grande Espetáculo, em peças como Romeu e Julieta (1957), e Os Magos do Violão (1957).
 
Em 1958, além de trabalhar na Rádio Nacional de São Paulo, também trabalhava aos sábados de noite na Rádio Clube de Santos, interpretando um cobrador de bonde, no programa Mais Pra Frente, Por Favor (1958).
 
TV Paulista
 
Quando as Organizações Victor Costa, que eram donas da Rádio Nacional de São Paulo, incorporaram em sua organização a TV Paulista, o leque de oportunidades de Borges se abriu. Borges fez parte de uma das primeiras turmas de atores da emissora, e automaticamente da TV brasileira.
 
Neide Salgado e Borges de Barros (1957)

Na emissora, fez diversos papeis, tanto cômicos, como dramáticos. Entre eles, temos o programa Teledrama, aonde atuou em peças, como O Corcunda (1955), O Final do Conto (1955), O Casaco de Peles (1955), O Pássaro na Gaiola (1955), O Negrinho do Pastoreio (1955), Luzia-Homem (1955), Por Quem Os Sinos Dobram (1956), Sombras do Ódio (1956), Mar Silencioso (1956), Por Quem os Sinos Dobram? (1956), O Falcão Maltês (1956), Rua 21, Estação 37 (1956), Os Proscritos de Poker Flav (1956), Os Corumbas (1956), Terras do Sem Fim (1956), Clara dos Anjos (1956), O Tempo de Sua Vida (1956), Fausto (1957), O Malandro (1958), Arara Vermelha (1958), Lampeão (1959), Semente Amarga (1959), entre outros.
 
Além disse, esteve em outros programas teatrais, como Teledrama Três Leões, em peças como Terras do Sem Fim (1956), O Tempo de Sua Vida (1956), e Navios Iluminados (1958), e Tele-Teatro, em peças como Maria Bonita (1959), programa apresentado por Silvio Santos a partir de 1961.
 
Raquel Martins, Manuel Inocêncio, Borges de Barros e Farid Riskallah (1961)

Ainda esteve nos programas O Grande Espetáculo, que reproduzia peças musicadas, como Eu Não Existo Sem Você (1958), Fantasias Bendix (1958), e Luiz Gonzaga (1960), e Construtores de São Paulo, que contava a história de personalidades da cidade, como Prudente de Moraes (1959), Rodrigues Alves (1959), Padre Chico (1959), Bravos Bandeirantes (1959), entre outros.
 
E por fim, ainda esteve nos programas Contos Brasileiros, em Assombramento (1959), e Romance e Melodia em Terra Seca (1959), entre outros.
 
Manoel de Nóbrega e Borges de Barros
 
Em comédia, foi sem dúvida nenhuma o seu ponto alto na emissora, e que lhe trouxe fama nacional. Em 1957, fazia na Rádio Nacional de São Paulo o programa Praça da Alegria, sendo chamado para tal por Manuel de Nóbrega. A idéia do programa surgiu em uma viagem de Manoel à Buenos Aires, aonde conversara com um mendigo culto em uma praça da cidade.
 
Ao chegar em São Paulo, foi logo procurar Borges para interpretar um mendigo semelhante a esse que conheceu na Argentina. Manoel talvez tenha chamado Borges, pois o mesmo já tinha fama de atuar como mendigo, como mostrou em Balança, Mas Não Cai (1954), na Nacional.
 
 Carlos Alberto de Nóbrega, Manuel de Nóbrega, Ronald Golias, e Borges de Barros 1957

Com isso, Manoel monta o programa, e com o sucesso, o transfere para a TV Paulista, fazendo um sucesso nacional, que fez criar outros modelos do mesmo programa por diversas décadas seguintes.
Programa Manoel de Nóbrega (1959), participando de vários quadros desse programa de segunda a sábado,
 
Hebe Camargo e Borges de Barros (1960)

O programa é transferido em 1958 para a TV Rio, e Borges não aceitou mudar-se para o Rio de Janeiro, então em seu lugar fica Jorge Loredo, o famoso Zé Bonitinho, interpretando seu papel na atração. Com a volta do programa para São Paulo em 1963 na TV Record, Borges retorna para seu antigo papel, ficando no mesmo até a última exibição do programa, em 1970. Com a morte de Manoel, o programa vai para a TV Globo em 1977, como uma homenagem a seu criador. Nessa ocasião, o programa era apresentado por Chico Anysio, sendo exibido até 1979.
 
Roberto Silveira, Borges de Barros e João Boudin (1958)
  
Borges também atuou em outros programas humorísticos na Paulista. Entre eles Vai da Valsa (1957), A Volta Ao Mundo em 80 Músicas (1958), ao lado de Luiz Pini, Seu Borges é Um Caso de Polícia (1959), Lotação-Ponto Cinco (1959), com Ronald Golias como motorista, TV Se Te Agrada (1960), de Chico Anysio, Comédia, Pão e Manteiga (1960), Tá Tudo Naquela Base (1960) de José Sampaio, ao lado de Walter Ribeiro dos Santos e outros, Os Corumbás (1960), Milhões de Napoleões (1960-61), ao lado de Chico Anysio, Jorge Loredo, Moacyr Franco, e outros, São Paulo... Num Te Guento (1960), ao lado de Rachel Martins e grande elenco, Quando Os Gaiatos Se Encontram (1961-62), ao lado de Valter Ribeiro dos Santos, Zilomag Show (1961), ao lado de Canarinho, interpretando o baiano que interpretava em diversos programa humorísticos da casa, como Miss Campeonato, Bar do Ponto (1961), ao lado de Luiz Pini, Zilda Cardoso, Roberto Barreiros, e outros, PRK-30 (1962), Escolinha de Grupo (1962-63), interpretando o Professor, com textos de Manoel de Nóbrega, Cynar Faz o Espetáculo (1962), primeiro programa que produziu na emissora, e com a ajuda de Luís Pini, entre outras.
 
Rose Rondelli, Miss Campeonato de 1958, ao lado do time do Palmeiras
 
Também fez na TV Paulista o papel de um Corintiano Nordestino no programa Miss Campeonato (1957-61), aonde na época a torcida do Corinthians era caracterizada pelo povo do nordeste, com os Italianos para o Palmeiras, e assim por diante. Por conta desse personagem, é homenageado em 1961 ao vivo no programa pelo time do Corinthians, recebendo medalha e título de sócio do time. Entre as misses que estiveram no programa, estão Carmen Verônica, e Rose Rondelli.

Borges de Barros e Trajano Reis em Seu Borges na Metrópole (1959)
 
Em 1958, além de atuar na Rádio Clube de Santos aos sábados, também atuava, nos mesmos dias na cidade, na filial da TV Paulista, no programa que levava seu nome, chamado Seu Borges, Um Caso de Polícia. No ano seguinte, o programa é refeito na capital paulista, e também produzido por Borges, rebatizado com o nome de Seu Borges na Metrópole (1958).
 
Borges de Barros, Carmen Verônica, e Ronald Golias (1957)
  
Além dos programas humorísticos, esteve em programas de temas diversos, como Todos Cantam a Sua Terra (1956), de Dias Gomes, programa musical com arranjos do maestro Guerra Peixe, Meu Filho, Meu Orgulho (1957), e Cássio Muniz em Revista (1957).
 
Permanece na emissora até 1963.
 
TV Excelsior
 
Em 1963, é contratado pela TV Excelsior, ao lado do cantor Agostinho dos Santos, Ulisberto Lelot, Maria Cecília, e Bentinho.
 
Borges de Barros e Wilma Bentivegna (1958)

Na emissora, esteve no humorístico São Paulo Se Diverte (1963), ao lado de Homem de Melo, Walter Stuart, Lolita Rodrigues, entre outros.
 
Posteriormente esteve no programa Renner Brasil-63 (1963), apresentado por Bibi Ferreira, aonde se decorriam várias peças teatrais.
 
No ano seguinte, participara do programa musical Eu Show Luiz Vieira (1964).
 
TV Record
 
Em 1965 vai para a TV Record. Na emissora, atua no humorístico Ceará Contra 007 (1965), além de retorna ao seu personagem na Praça da Alegria (1966-70), ao lado de Manoel de Nóbrega, Simplício, Ronald Golias, Chocolate, Zilda Cardoso, Maria Tereza, Ema D'Ávila, Roni Rios, Walter D'Ávila, Viana Jr., e Roberto Barreiros. O programa encerrou em 1970, mas foi reprisado até 1971.

Borges de Barros, Erenita Tenório, Nelson Bueno, Vilma Bentivegna, Odair Marzano, Clayton Libaro e Sônia Forsione (1959)
  
Em novelas, esteve em Quatro Homens Juntos (1965), Mãos Ao Ar (1965-66), novela humorística ao lado de Ronald Golias, Chocolate, Carmen Verônica, Consuelo Leandro, Durval de Souza, e Adoniram Barbosa, e Meu Adorável Mendigo (1973).
 
Alguns programas, como Praça da Alegria, e a novela Mãos Ao Ar, eram passadas também na TV Rio.
 
Rede Globo
 
Na Rede Globo, teve uma passagem rápida, atuando apenas na novela Os Gigantes (1979-80).
 
TV Bandeirantes
 
Em seguida, vai para a TV Bandeirantes, e atua na novela Os Adolescentes (1981).
 
SBT
 
Carlos Alberto de Nóbrega e Borges de Barros
 
Em 1982, entra para a TVS, futuro SBT, no programa humorísticos A Feira do Riso (1982), ao lado de vários comediantes. Na TVS, também atua na novela Jerônimo (1984), ao lado de Eleu Salvador.
 
Com a recriação da Praça da Alegria no SBT em 1987, agora com o nome de A Praça é Nossa, Borges retorna a interpretar o mendigo milionário Antero, o qual o fez até meados dos anos de 1990.
 
Cinema
 
O Cangaceiro (1953)
 
Ele também fez cinema. Fez os filmes Simão o Caolho (1952), Ceará Contra 007 (1965), Quatro Homens Juntos (1965), Se Meu Dólar Falasse (1970), Regina e o Dragão de Ouro (dublou em 1974), Meu Adorável Mendigo (1973), Os Gigantes (1979), Os Adolescentes (1981), e Jerônimo (1984).
 
Zilda Cardoso, Borges de Barros e Grande Otelo em Se Meu Dólar Falasse (1970)
 
Teatro
 
Borges participou do show Valieté (1959), produzido por José Sampaio, ao lado de Salomé Parisio e do produtor, em apresentações na Fazenda Churrascaria e no Clube Piratininga.
 
Em peças, entre outros, fez o teatro de revista, Nem Zeus, Nem Eu (1961),
 
Posteriormente, fez a peça O Pagador de Promessas (1962), de Diag Gomes pelo Teatro Brasileiro de Comédias, com apresentação da sala de espetáculos na Rua Major Diogo.
 
Depois esteve em Estão Voltando As Flores (1964), no Teatro Oásis.
 
Também atuou em Como Matar Seu Marido (1965), no Teatro Ruth Escobar.
 
Música
 
Borges também chegou a gravar músicas nos anos de 1960. Gravou músicas cômicas na gravadora Copacabana na época.
 
Em 1961, gravou a marchinha Eu Quero Me Casar (1961), de A. Dutra para o Carnaval.
 
Em 1962, lança também marcinha para o Carnaval, como Ta Me Levando (1962) e Minha Camaradinha (1962), além de outras marchinhas ao lado de Zilda Cardoso.
 
Prêmios
 
Em 1957, ganha o prêmio Roquette Pinto, como revelação masculina da televisão no ano de 1956.
 
Em 1958, ganha outro prêmio Roquette Pinto referente à 1957, como melhor interprete cômico do rádio paulista.
 
Também em 1958, ganha o prêmio de melhor rádioator da Rádio Nacional de São Paulo, referente ao ano de 1957.
 
Em 1962, ganhou o Troféu Bandeirante por melhor equipe humorística, ao lado de Carlos Alberto de Nóbrega, Canarinho, Manoel de Nóbrega, Golias e Luiz Pini. O prêmio foi entregue no auditório da OVC.
 
Em 1993, Borges de Barros ganhou o Troféu Aplauso como melhor dublador do ano.
 
Associação dos Radialistas
 
Em 28 de Dezembro 1957, se tornou o 2º secretário da Associação dos Radialistas do Estado de São Paulo, encabeçada por Manoel de Nóbrega. Em 1959, passa ao Conselho Consultivo da associação.
 
Vida Pessoal
 
Borges, Lourdes e Bárbara (1958)
  
Em sua vida pessoal, se casou com Lourdes na década de 1950, e teve sua primeira filha em 23 de junho de 1958, chamada Bárbara Virginia.
 
Borges e Bárbara (1958)
  
Borges tinha um irmão chamado Roberto Borges de Barros.
 
Dublagem

Na dublagem, começou em 1949 nos Estúdios Vera Cruz aonde dublavam-se filmes nacionais. O seu primeiro filme foi O Cangaceiro.
 
Borges de Barros ao lado dos dubladores da AIC - São Paulo nos anos de 1960

Em 1957, começou a dublar filmes estrangeiros para a TV na Ibrasom. Em seguida, entra para a GravaSon, que posteriormente transforma-se em AIC, e por fim em BKS.
 
Na empresa AIC, permaneceu até o final dos anos de 1990, quando raramente era chamado para dublar na mesma.
 
 Borges de Barros e Mário Villela

Também participou de muitos outros estúdios, como Núcleo de Dublagem da TVS, Gota Mágica, Mastersound, Álamo, entre outros, sendo esse último uma das casas aonde Borges mas atuou nas últimas décadas de sua carreira.
 
Moe Howard em Os Três Patetas

Ele eternizou diversos personagens. Em series, por exemplo fez o Doutor Zachary Smith interpretado por Jonathan Harris em Perdidos no Espaço, Moe Howard em Os Três Patetas, Pinguim interpretado por Burgess Meredhit em Batman, entre outros.
 
Borges de Barros e Jonathan Harris no Programa Hebe
 
Borges teve uma honra que poucos dubladores tiveram: de conhecer o ator que dublou. No final dos anos de 1960, Jonathan Harris esteve visitando o Rio de Janeiro, e ao assistir um episódio dublado da série Perdidos no Espaço, aonde Borges o dublava, resolveu ir conhecê-lo em São Paulo. O encontro aconteceu no Programa Hebe na TV Record. Jonathan elogiou muito o trabalho de Borges, e disse que queria que sempre seus filmes fossem dublados por ele.
 
Zéca Urubu

Em desenhos, Borges fez diversos personagens, como Babu em Jeannie, foi uma das vozes dos personagens Zéca Urubu, Professor Dinbledong, Professor Grossenfiber, Inspetor Willoughby, Ursulão e personagens secundários em Pica-Pau (Clássico), Pilaf na primeira dublagem de Dragon Ball realizada na Gota Mágica para o SBT, Gigars nas duas dublagens de Os Cavaleiros do Zodíaco, Song Taijin em Efeito Cinderela, entre outros.
 
Edin em Jaspion

Em séries japonesas fez o profeta Edin interpretado por Noburu Nakatani em O Fantástico Jaspion, a segunda voz do Mantor do Diabo interpretado por Kiyoshi Obayashi em Lion Man, Gaata dublado originalmente por Hiroshi Masuoka e a voz masculina de Shima dublado originalmente por Michiro Iida em Esquadrão Relâmpago Changeman, Baraki dublado originalmente por Ginga Banjo em Comando Estelar Flashman, entre outros.
 
Edward G. Robinson em vários filmes

Em filmes fez Lancey Howard interpretado por Edward G. Robinson em A Mesa do Diabo, Conde Drácula interpretado por Bela Lugosi em Abbott e Costello As Voltas Com Fantasmas, Senhor Kentley interpretado por Cedric Hardwicke em Festim Diabólico, Alfie interpretado por Denver Pyle em O Homem Com a Morte Nos Olhos, Vincent Gardenia interpretado por Frank Ochoa em Desejo de Matar 2, entre outros.
 
Borges de Barros no lançamento do DVD de Perdidos no Espaço
 
O prêmio à Borges de Barros pelo trabalho na série Perdidos no Espaço
 
Em 24 de Julho de 2004, foram lançados os DVD's no Brasil da série Perdidos no Espaço, e para comemorar, fizeram um encontro com os dubladores principais da série, realizada nos anos de 1960. Entre eles estavam Borges de Barros, Helena Samara, Maria Inês e Gilberto Baroli. Borges recebeu um premio da Fox Home Entertainment pelo trabalho na série.
 
Borges de Barros sofria de problemas renais e cardíacos, e veio a falecer no dia 12 de Dezembro de 2007, quando sofreu uma parada cardíaca quando fazia uma sessão de hemodiálises.
   
Trabalhos:

Filmes

- Tio Remus (James Bakett) em Canção do Sul
- Vovô Martin Vanderhof (Lionel Barrymore) em Do Mundo Nada Se Leva
- Mestre Tchi (Chang Ching Peng Chaplin) em Desafio Mortal
- Lancey Howard (Edward G. Robinson) em A Mesa do Diabo
- Conde Drácula (Bela Lugosi) em Abbott e Costello As Voltas Com Fantasmas
- Eli Sands (Eddie Albert) em Aeroporto 79, O Concorde
- Vincent (Nikolai Binev) em Agente Biológico
- Mestre Tchi (Chang Ching Peng Chaplin) em Desafio Mortal
- Sr. Kentley (Cedric Hardwicke) em Festim Diabólico
- Alfie (Denver Pyle) em O Homem Com a Morte Nos Olhos
- Vincent Gardenia (Frank Ochoa) em Desejo de Matar 2
- Big Jim Colosimo (Frank Campanella) em Capone - Gangster
- William Cadwalader (John McGiver) em O Esporte Favorito dos Homens
- Xerife Cardigan (Jay C. Flippen) em Divida de Sangue
- Tom Smykowski (Richard Riehle) em Como Enlouquecer Seu Chefe
- Sgt. Pete Karelsen (Tim Ryan) em A Um Passo da Eternidade
- Tootles (Arthur Malet) em Hook - A Volta do Capitão Gancho
- Wang Khan (Thomas Gomez) em Sangue de Bárbaros

Séries

- Moe Howard (Moe Howard) em Os Três Patetas
- Dr. Zachary Smith (Jonathan Harris) em Perdidos no Espaço
- Pinguim (Burgess Meredith) em Batman (AIC)
- Capitão Roland Francis Clancey (Henry Beckman) em E As Noivas Chegaram
- Mantor do Diabo (Kiyoshi Obayashi) (segunda voz) em Lion Man
- Edin (Noburu Nakatani) em O Fantástico Jaspion
- Gaata (voz) (Hiroshi Masuoka) e Shima (voz masculina) (Michiro Iida) em Esquadrão Relâmpago Changeman
- Baraki (voz) (Ginga Banjo) em Comando Estelar Flashman
- Maurice Evans (Maurice Evans) (8ª Temporada), e Johann Sebastian Monroe (Jonathan Harris) (5ª Temporada) em A Feiticeira

Desenhos
- Babu em Jeannie
- Zéca Urubu (terceira voz), professor Dinbledong, Professor Grossenfiber, Inspetor Willoughby, Ursulão e personagens secundários em Pica-Pau- Gigars em Os Cavaleiros do Zodíaco (1ª e 2ª Dublagem)
- Capitão Stanley Lord (Matthew Walker) em Titanic (1996 - 2ª Dublagem)
- Pilaf em Dragon Ball (1ª Dublagem)
- Cientista em Street Fighter II V - O Filme
- Sul-Van em As Aventuras de Super-Homem (Anos de 1990)
- Dr. Escaravelho em Os Seis Biônicos
- Song Taijin em Efeito Cinderela
- Earthquake em Samurai Shodown
- Dédalo em O Poderoso Hércules (1ª Dublagem)
- Papai Noel em O Estranho Mundo de Jack (Longa-Metragem - 1ª Dublagem)
- Moscado (segunda voz) em Mosquete, Mosquito e Moscado
- Hoi em Dragon Ball Z - O Ataque do Dragão
- Vovô Urso em O Pequeno Urso

Links Relacionados:

 
Fontes: Acervo Pessoal, Universo AIC, Dublanet, IMDB, BradSnoopy97, MofoTV, Revista do Rádio, Wikipédia, Globo.com.

Total de visualizações de página