sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Judy Teixeira


Arquivo de Som:

Louise Tate (Kelsey Rogers) em A Feiticeira



Biografia:

Judy Teixeira foi uma dublador Paulistana.

Judicéia Silva Teixeira (conhecida como Judi e Judy Teixeira) nasceu em Barra Mansa, Rio de Janeiro.
 
Rádio Cruzeiro do Sul

Conhecida pelo nome artístico de Judi, começou a carreira como rádioatriz em 1937 na Rádio Cruzeiro do Sul, em São Paulo. Na emissora, cantava músicas folclóricas e de samba.

Rádio Record

Em 1939, conheceu no bar dos artistas da OVC, Barreto Machado, que lhe apresentou o escritor de novelas, Otávio Gabus Mendes, que a convidou para trabalhar na Rádio Record.

Na emissora, fez parte por muitos anos do programa O Encontro das Cinco e Meia (1939-47), aonde encenou dezenas de peças com a patente de Gabus.

Rádio Mayrink Veiga

Por volta de 1948, parte para o Rio de Janeiro, aonde vai trabalhar na Rádio Mayrink Veiga.

Judy Teixeira (1957)

Em 1951, começou a escrever novelas para a emissora.

Na emissora ficou por 4 anos, partindo em 1952 para trabalhar em rádio na Bahia. Não sabemos em que emissora trabalhou.

Rádio Tamandaré

Por volta de 1953, esteve em Recife, Pernambuco, na Rádio Tamandaré. Na emissora, entre outros, atuou nas novelas Luzes da Ribalta (1953), Senhora do Engenho (1953), interpretando Maria Betânia, e Menina e Moça (1954).

No programa Vesperal das Moças, atuou no quadro Conversas Intimas (1954), entrevistando médicos, costureiros, líderes femininas e donas de casa.

Rádio Nacional

Retorna a São Paulo e entra para as organizações Victor Costa em 1955, indo trabalhar na Rádio Nacional.

Judy Teixeira e Wilma Bentivegna (1956)

Na emissora, entre outros atuou no seriado O Máscara de Ferro (1958), fazendo parte do programa Romances Kolynos, e de autoria da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, que inclusive exportou artistas de sua emissora para participaram da atração na emissora paulista. Eles são Zezé Fonseca e Paulo Gracindo, secundados por Osmano Cardoso, Homem de Melo e Cacilda Lanuza.

Judy atuou na primeira peça do programa Grande Teatro Otávio Gabus Mendes, em homenagem ao saudoso novelista, na peça A Noite Tudo Encobre (1959), ao lado do filho de Otávio, Casiano Gabus Mendes, Sarita Campos e Paulo de Gramont. Entre outras peças que atuou no programa, estão A Grande Mentira (1959), Uma Família Como Outras (1959), 

Em novelas, atuou em Laura LTDA. (1959), ao lado de Iara Lins e Climaco César, e Luz dos Meus Olhos (1961), ao lado de Helena Samara, Waldir Guedes, Osmano Cardoso e companhia.

TV Paulista

Para a TV, foi levada por volta de 1955/56 pelas mãos da escritora de novelas, Eni Autran, que dirigira o teleteatro da TV Paulista, e que trouxera outros rádioatores da Rádio Nacional para a emissora.

Nelson Bueno, Borges de Barros e Judy Teixeira (1960)

Entre as peças que esteve, estão as interpretadas no programa Teledrama, como O Corcunda (1955), O Invasor (1956), Uma Carta Para Três Maridos (1956), Rosa Tatuada (1957), Laços Humanos (1957), Vôo 614 (1958), Os Sinos de Santa Maria (1958), Mulheres (1958), Estrela de Uma Noite de Verão (1958), Cinzas Ao Vento (1958), Semente Amarga (1959), O Vice-Presidente (1959), Os Óculos da Verdade (1959), Um Filho Para Sua Alteza (1960), Crepúsculo (1961), Uma Flor Para Frida (1961), Vende-Se Um Pássaro (1961), A Mulher Que Voltou da Morte (1963), Tristão e Isolda (1963), entre outras.

Além disso, também atuou em programas como Construtores de São Paulo, em peças como Prudente de Moraes (1959), Bráulio Gomes (1959), e Emílio Ribas (1959), Teatro Três Leões, em peças como Dê-Me O Seu Amor (1957), Grande Teatro OVC, atuam em O Fantasma de Canterville (1961), Não Consultes Médico (1961), e A Estalagem Maldita (1961), e Colecionador de Emoções, na peça Devoção (1962), ao lado de Iara Lins.

Osmano Cardoso e Judy Teixeira (1961)

Em novelas, esteve em Os Irmãos Dombey (1959), A Herdeira de Ferlea (1961), As Grandes Esperanças (1961), A Loja de Antiguidades (1963), O Conde de Suffolk (1963), entre outras.

Na emissora também atuou em séries, como Mateus Falcone (1961), e História de Um Avô (1962).

Daniel Guimarães, Cacilda Lanuza, Judy Teixeira e Walter Forster (1960)

Em programas, esteve em Intimidade (1956-60), ao lado de Cacilda Lanuza, Walter Fortes e Daniel Guimarães, Um Nome de Mulher (1958), Grande Hotel (1959), entre outros.

TV Excelsior

Na TV Excelsior fez a novela Ilsa (1964).

TV Bandeirantes


No início dos anos de 1970, esteve na TV Bandeirantes, atuando em novelas, ao lado, entre outros, de colegas da AIC, como Silvio Matos e Aliomar de Matos.

TV Tupi

Judy Teixeira (1958)

Na TV Tupi fez três novelas, Ídolo de Pano (1974), Ovelha Negra (1975), e A Viagem (1975).

Na novela Ovelha Negra, fez a personagem Maria, sendo a personagem mais famosa que fez em sua carreira em novelas.

Nessa ocasião, começa a adotar o nome artístico de Judy Teixeira, que já usara na dublagem.

Teatro

Judy Teixeira (1957)

Na década de 1940, chegou a atuar em duas temporadas de peças de Procópio Ferreira.

Muitos anos depois, atuou em O Mártir do Gólgota (1958), no Circo Piolim, ao lado de artistas da OVC (Rádio e TV), como José Miziara, Odair Marzano, Osmano Cardoso, e grande elenco.

Cinema

Em filmes, participou de Os Insaciados (1981).

Prêmios

Em 1962, ganha o prêmio da Revista do Rádio como melhor rádioatriz de São Paulo de 1961.

Vida Pessoal

Por volta de 1953/54, casa-se com o novelista da Rádio Tamandaré, Otávio Augusto Vampré.

Dublagem

Na dublagem começou no início dos anos de 1960 na AIC, aonde desenvolveu um trabalho brilhante dublando grandes atrizes em filmes e séries. Também trabalhou na CineCastro de São Paulo por alguns anos. Em 1976, após a AIC mudar de dono e nome para BKS, Judy continuou na empresa, permanecendo por mais alguns anos na mesma. Esteve na Álamo em meados dos anos de 1980.

Louise Tate

Entre seus personagens, destacamos as séries, como Louise Tate interpretada por Irene Vernon e Kelsey Rogers em A Feiticeira, Tia Clara interpretada por Reta Shaw em Perdidos no Espaço, Vovó Mitchell interpretada por Kathleen Mulqueen em Dennis o Pimentinha, Reverenda Madre Lydia Plácido interpretada por Madeleine Sherwood em A Noviça Voadora, a primeira voz e mais constante voz da Doutora Ann MacGregor interpretada por Lee Meriwether em O Túnel do Tempo, entre outros.

Em filmes fez a Senhora. Violet Venable interpretada por Katherine Hepburn em De Repente, no Último Verão, Sadie Burke interpretada por Mercedes McCambridge em A Grande Ilusão, Lydia Brenner interpretada por Jessica Tandy em Os Pássaros, entre outros.

Em desenhos fez a Mamãe Urso no episódio Chapeuzinho Diferente em Pica Pau, Vilma Flintstone em Fred & Barney Show, entre outros.

Judy veio a falecer por volta de final dos anos de 1980, já com idade.

Essa foi mais uma das grande profissionais da dublagem que tivemos em nosso país.

Trabalhos:

Filmes

- Sra. Violet Venable (Katherine Hepburn) em De Repente, no Último Verão
- Sadie Burke (Mercedes McCambridge) em A Grande Ilusão
- Garçonete (Lila Kaye) em Um Lobisomem Americano Em Londres
- Martha Farnsworth (Geraldine Page) em O Estranho Que Nós Amamos
- Lydia Brenner (Jessica Tandy) em Os Pássaros
- Gertrude (Eileen Herlie) em Hamlet (1948)
- Dorothy McCoy (Dorothy Shay) em Bruxaria
- Rainha Elizabeth I (Bette Davis) em A Rainha Tirana
- Sra. Rudd (Irene Tedrow) em A Mesa do Diabo

Séries

- Louise Tate (Irene Vernon e Kelsey Rogers) em A Feiticeira
- Tia Clara (Reta Shaw) em Perdidos no Espaço
- Vovó Mitchell (Kathleen Mulqueen) em Dennis o Pimentinha
- Reverenda Madre Lydia Plácido (Madeleine Sherwood) em A Noviça Voadora
- Dra. Ann MacGregor (Lee Meriwether) (primeira voz) em O Túnel do Tempo

Desenhos

- Vilma Flintstone em Fred & Barney Show

Fontes: Revista do Rádio, Dublanet, Universo AIC, IMDB, Wikipédia, Radiolândia, Diário do Paraná.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página